Faça as suas emoções trabalharem para você. Em vez de contra você!

Tempo de leitura: 4 minutos

Você já ficou surpreso com uma reação emocional que não esperava? Isso interferiu no que você queria realizar?

Não deixe suas emoções controlarem você. Infelizmente não tem como pararmos nossas emoções, no entanto é possível entende-las para que você possa adotar a melhor estratégia para reduzir seu impacto, mas isso só é possível depois de entender o que está acontecendo.

A inteligência emocional (IE) é marcada pela capacidade de uma pessoa reconhecer e compreender as emoções (tanto suas quanto das outras) e usar essas informações para orientar a tomada de decisões. Isso inclui demonstrar qualidades extremamente complexas, como empatia, simpatia e compaixão.

Claro, essas qualidades nos ajudam a ser pessoas melhores. Mas elas também podem ajudá-lo a quebrar seus piores hábitos de comunicação, para que os outros recebam sua mensagem da melhor maneira possível.

Por exemplo, você já disse alguma coisa alguma vez que não gostaria de ter dito?

Resolver essa questão que atormenta muitas pessoas, é mais fácil de falar do que fazer, mas há um simples "método de três perguntas" que pode ajudar você que diga algo do qual pode se arrepender depois.

As 3 perguntas vitais

Há três coisas que você deve sempre se perguntar antes de dizer qualquer coisa:

  • Isso precisa ser dito?
  • Isso precisa ser dito por mim?
  • Isso precisa ser dito por mim agora?

Antes de descartar esse método como simplista, pense em quantos comentários antagônicos isso eliminaria da mídia social.

Mas deixe as mídias sociais de lado e vamos ver na prática como isso pode se aplicar no ambiente profissional:

Digamos que você seja um gerente e tenha trabalhado duro para melhorar o relacionamento com determinados indivíduos da sua equipe. Um dia, você testemunha alguém fazendo algo grandioso no trabalho e aproveita a oportunidade para elogiá-lo. Bom trabalho! (O elogio sincero, autêntico e oportuno ajuda muito a motivar os funcionários. )

Mas, de repente, você se lembra de como eles estragaram algo há algumas semanas e pensa:

"Eu deveria trazer isso para a atenção deles também."

"Deixe-me dizer a eles antes que eu esqueça..."

Não faça isso! Pare e pergunte a si mesmo:

  • Isso precisa ser dito?
  • Precisa ser dito por mim ?
  • Precisa ser dito por mim agora ?

A crítica construtiva é melhor quando feita logo após o erro.

Mas no caso do nosso exemplo você já perdeu o barco. Se você der esse feedback negativo depois de já ter passado e principalmente quando for fazer um elogio, ele irá destruir completamente qualquer boa intenção que você construiu com o seu elogio. A pessoa vai pensar:

"Então, basicamente você acabou de me dizer algo legal para suavizar o golpe do que você realmente queria dizer."

Quando você se faz as três perguntas, provavelmente chegará a alguma dessas conclusões:

  • A crítica que eu queria compartilhar não era tão importante, afinal. Minha opinião pode até estar mudando ou mudar daqui a pouco.
  • Pode ser melhor se eu for falar com o líder da equipe primeiro. Talvez o que eu vi algumas semanas atrás não fosse realmente o quadro todo.
  • Eu definitivamente ainda preciso falar com eles sobre o problema que eu vi. Mas agora não é a hora certa. Deixe-me definir um lembrete para agendar uma reunião depois que eu estiver melhor preparado.

Viu como isso funciona?

Este é apenas um cenário, mas praticar estas três perguntas irá ajudá-lo em várias situações. Imagine se todos fizessem isso: veríamos muito menos e-mails (e mais curtos), reuniões mais curtas e menos reclamações de funcionários sobre os comentários inapropriados dos outros ... e sim, talvez até alguns relacionamentos salvos.

Mas e quando a resposta para as 3 perguntas for SIM...

É claro que não estou dizendo que não deve falar o que pensa, mas sempre tem um momento apropriado. Acredito firmemente na comunicação honesta e direta, e há momentos em que a resposta a todas as três perguntas será um retumbante sim. E quando esse momento chegar, o método das três perguntas irá ajudar você a falar com mais confiança, porque você tem certeza que aquele é o melhor momento para falar e com isso você aprende a ser mais assertivo.